Skip to Content

Instrukcja korzystania z Biblioteki

Serwisy:

Ukryty Internet | Wyszukiwarki specjalistyczne tekstów i źródeł naukowych | Translatory online | Encyklopedie i słowniki online

Translator:

Kosmos
Astronomia Astrofizyka
Inne

Kultura
Sztuka dawna i współczesna, muzea i kolekcje

Metoda
Metodologia nauk, Matematyka, Filozofia, Miary i wagi, Pomiary

Materia
Substancje, reakcje, energia
Fizyka, chemia i inżynieria materiałowa

Człowiek
Antropologia kulturowa Socjologia Psychologia Zdrowie i medycyna

Wizje
Przewidywania Kosmologia Religie Ideologia Polityka

Ziemia
Geologia, geofizyka, geochemia, środowisko przyrodnicze

Życie
Biologia, biologia molekularna i genetyka

Cyberprzestrzeń
Technologia cyberprzestrzeni, cyberkultura, media i komunikacja

Działalność
Wiadomości | Gospodarka, biznes, zarządzanie, ekonomia

Technologie
Budownictwo, energetyka, transport, wytwarzanie, technologie informacyjne

Ciência Florestal

O presente estudo teve como objetivo principal a caracterização morfoanatômica da rizogênese adventícia de miniestacas de quatro clones de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla. As miniestacas foram coletadas de minicepas estabelecidas em minijardim clonal, conduzido em sistema semi-hidropônico em canaletas com fertirrigação. Para a caracterização histológica do processo de rizogênese das miniestacas foram coletadas amostras teciduais aos 0, 1, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 dias após o estaqueamento em casa de vegetação climatizada, para enraizamento. As amostras foram fixadas em FAA70%, desidratadas em série etílica e incluídas em metacrilato. Os resultados revelaram a origem endógena de primórdios radiculares a partir do câmbio vascular e, em alguns casos, a proliferação e a formação de uma massa de células desorganizadas (calos) em miniestacas dos clones avaliados, entre 8 e 12 dias de idade.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3719 2014/10/02 - 12:57

A manutenção da viabilidade das sementes por meio do armazenamento, em condições de ambiente controlado, representa uma das linhas de pesquisa mais importantes para espécies florestais com sementes pouco longevas como as das espécies do gênero Handroanthus. Nesse trabalho procurou-se identificar o comportamento das sementes quanto à longevidade e à condição mais adequada para o armazenamento de sementes de Handroanthus umbellatus. As sementes foram secas até 6,3% de teor de água e submetidas aos seguintes tratamentos de armazenamento: acondicionamento em sacos de papel unifoliado (permeável) em condições não controladas de temperatura e umidade relativa de laboratório (testemunha) e multifoliados (semipermeável) nas temperaturas de -18ºC, 1ºC e 25oC. As sementes armazenadas foram avaliadas trimestralmente até 24 meses quanto ao teor de água, à porcentagem de germinação e ao vigor por meio do teste da primeira contagem. As sementes de Handroanthus umbellatus são ortodoxas, mas de baixa longevidade em condições naturais, pois se mantêm viáveis no ambiente por menos que 5 meses. A melhor condição para a conservação de sementes dessa espécie foi obtida com o armazenamento a -18ºC em sacos multifoliados, que manteve praticamente inalterada a qualidade fisiológica das sementes por 24 meses.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3764 2014/10/02 - 12:57

Na região Noroeste do Estado de São Paulo, foi estabelecida, em 1965, a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira (CESP), que produziu extensas áreas degradadas, de onde foram retiradas as camadas superficiais do solo. Para o restabelecimento da vegetação, em áreas como estas, é necessária a adição de insumos químicos e matéria orgânica. Associando-se a presença na região de macrófitas à necessidade de recuperação de áreas degradadas e a disponibilidade de sementes de espécies nativas de cerrado, propôs-se o desenvolvimento deste trabalho, com o objetivo de avaliar os efeitos da adição de resíduo orgânico e fósforo sobre material de solo degradado e sobre o crescimento inicial de Dipteryx alata, espécie arbórea de cerrado. O material de solo foi coletado em área degradada pela construção da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira (SP). O experimento foi conduzido em dois ambientes, casa de vegetação e a pleno sol. Os tratamentos consistiram de quatro doses de fósforo (0, 100, 200 e 300 mg dm-3 de P2O5), com ou sem adição de macrófitas, produzindo 16 tratamentos com 10 repetições cada um. As macrófitas utilizadas, coletadas na Usina Hidrelétrica de Jupiá (MS), foram secas e passadas em picadeira, incorporadas ao material de solo e incubadas por 60 dias. As sementes de Dipteryx alata, coletadas nas proximidades da área, foram semeadas em areia lavada e após 60 dias introduzidas nos tratamentos. As plantas foram avaliadas mensalmente quanto à altura, ao diâmetro do caule e à clorofila foliar. Após 210 dias, as plantas foram coletadas e avaliadas para peso fresco e seco da parte área e do sistema radicular e o material de solo foi avaliado quanto à fertilidade e atividade microbiana pelo carbono do CO2 liberado. A incorporação de resíduo orgânico ao material de solo degradado afetou positivamente a fertilidade deste e a atividade microbiana. As doses de fósforo aplicadas influenciaram o comportamento de Ca, SB, H+Al e CTC e, quando aplicadas na ausência de resíduo orgânico, promoveu incrementos significativos e lineares nos valores da acidez potencial, mostrando a importância da presença do resíduo orgânico. O crescimento inicial do Dipteryx alata foi favorecido pelo cultivo protegido, pela incorporação de resíduo orgânico e pela adição de fósforo ao solo. Pode-se concluir ainda que há boa perspectiva para deposição deste resíduo sobre o material de solo degradado, embora estudos em condições de campo sejam necessários.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4010 2014/10/02 - 12:57

A utilização de mudas de qualidade é fundamental para o estabelecimento de plantios florestais, o que é alcançado por meio de técnicas adequadas desde a fase de viveiro. Assim, este trabalho teve por objetivo investigar a influência de diferentes composições de substratos e do volume de recipiente (tubetes) no crescimento de mudas de canjerana (Cabralea canjerana), no viveiro e no campo. Em viveiro foram avaliadas três composições de substratos à base de turfa (100% turfa, turfa + 20% casca de arroz carbonizada (CAC) e turfa + 40% CAC) combinadas com dois tamanhos de tubetes (100 e 280 cm3). Foram realizadas mensalmente, durante 330 dias, mensurações do diâmetro do coleto (DC) e da altura (H), e foi calculada também a relação H/DC. Aos 330 dias foram avaliadas as massas secas radicular, aérea e total e o índice de qualidade de Dickson. Os mesmos tratamentos foram avaliados em campo, durante um período de 360 dias, e foi mensurado a cada 90 dias, o DC e a H, e calculada a H/DC. No viveiro e em campo, os experimentos foram conduzidos com delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro repetições. Mudas de canjerana podem ser produzidas em substrato composto por 60% de turfa e 40% de casca de arroz carbonizada sem prejuízo do seu crescimento em campo, tendo em vista a economia que representa no viveiro. O uso do tubete de 280 cm3 proporcionou somente crescimento superior das mudas na fase de plantio, sendo que o diâmetro do coleto e a massa seca radicular expressaram o melhor desempenho.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4033 2014/10/02 - 12:57

Estudos sobre a maturação de sementes são fundamentais para orientar a época ideal de colheita, auxiliar o planejamento do processo de secagem, armazenamento e no controle da qualidade. Por isso, o trabalho teve como objetivo conhecer a época adequada para colheita de sementes de Amburana cearensis (Allem.) A. C. Smith. Os frutos foram coletados no município de Malta – Paraíba, e depois conduzidos ao Laboratório de Sementes da Universidade Federal de Campina Grande, onde procederam as análises e testes de germinação. Em cada uma das seis colheitas, realizadas semanalmente, foram avaliados frutos e sementes, quanto à coloração, biometria e teor de água, além da massa seca, germinação e vigor das sementes. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com quatro repetições de 25 sementes cada. Os resultados obtidos permitiram constatar que 54 dias após a antese, estádio esse anterior à deiscência dos frutos, estes se apresentavam de coloração marrom-escura, enrugados e com fendas no ápice, enquanto as sementes no ponto ideal de maturação fisiológica, de coloração preta, germinação de 94,0%; 3,0% de plântulas anormais e 1,0% de sementes mortas para condições de semiárido nordestino. Recomenda-se a colheita dos frutos aos 54 dias após a antese quando apresentam coloração marrom-escura e ápice enrugado com fendas, pois aos 63 dias após a antese há a dispersão natural das sementes.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4190 2014/10/02 - 12:57

Diante da importância ecológica que as florestas ciliares representam para o equilíbrio ambiental, este estudo objetiva indicar espécies nativas para serem usadas na recomposição de florestas ciliares degradadas existentes na sub-bacia do Rio Peixe-Boi. Foram inventariadas todas as árvores e arbustos com diâmetro a 1,30 m do solo > 5 cm em dez áreas de floresta secundária e seis de floresta de igapó. Os dados foram analisados pela Análise de Componentes Principais (ACP) e as espécies avaliadas silviculturalmente através de revisão bibliográfica. As áreas de igapó tiveram baixo índice de riqueza e diversidade de Shannon, quando comparado com os dados das florestas secundárias. A composição florística dos igapós foi bem heterogênea, e há maior similaridade florística entre áreas de maior proximidade geográfica. As florestas secundárias tiveram grande abundância de indivíduos, alta riqueza, diversidade e equabilidade e foram agrupadas em função da proximidade geográfica e da idade, o que está diretamente ligado ao estádio sucessional. A análise ACP estabeleceu a importância ecológica de 29 espécies arbóreas, contudo, foram encontradas informações silviculturais de apenas dez espécies. Por apresentarem grande importância ecológica e técnicas silviculturais viáveis e disponíveis na literatura, as espécies de igapó Carapa guianensis, Pachira aquatica, Spondias mombin, Tapirira guianensis e Virola guianensis são as mais indicadas para a recomposição dessas áreas, em associação com as espécies Inga edulis, Jacaranda copaia, Pseudopiptadenia psilostachya, Simarouba amara e Vismia guianensis de floresta secundária, que podem ser plantadas nas áreas de bordas e adjacentes às florestas de igapó.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4535 2014/10/02 - 12:57

A análise do comportamento da precipitação e sua interação nas diferentes etapas do ciclo hidrológico em bacias hidrográficas florestadas são essenciais para a determinação do balanço hídrico, devido à sua relevante participação nos processos hidrológicos e à sua variação espaço-temporal em função de fatores edáficos, topográficos, climáticos e de vegetação. Devido à heterogeneidade da Mata Atlântica, aliada à variabilidade espaço-temporal da precipitação, tornam-se fundamentais mecanismos que permitam a descrição, bem como a interligação dos componentes do balanço hídrico nesse ambiente. Nesse contexto, este estudo foi realizado com o objetivo de analisar a partição da precipitação pluvial em uma microbacia hidrográfica inteiramente ocupada por um remanescente de Mata Atlântica, durante os anos hidrológicos de 2009-2010 e de 2010-2011, correlacionando-a com a evolução sazonal dos ecossistemas, identificada pela aplicação das diferenças dos índices de vegetação por diferença normalizada (IVDN). Observou-se maior percentual de precipitação interna em períodos com menores precipitações. Constatou-se também maior capacidade de armazenamento de água do dossel vegetativo da Mata Atlântica no período chuvoso. Ainda, foi verificada correlação entre a capacidade de armazenamento de água do dossel da Mata Atlântica e a regeneração vegetal sinalizada pelo IVDN, podendo-se associar este comportamento aos processos responsáveis pelo desenvolvimento da Mata Atlântica.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4822 2014/10/02 - 12:57

Corythucha ciliata (Hemiptera: Tingidae) é um inseto nativo da América do Norte que foi introduzido na Europa, pela Itália, em 1964. Desde então tem se expandido por toda a Europa, desconhecendo-se a data de chegada e a sua área de distribuição em Portugal. Esta importante praga invasora alimenta-se na face inferior das folhas de plátano, uma das mais importantes árvores ornamentais nos espaços verdes urbanos em Portugal, causando senescência prematura e eventualmente morte, em casos de infestações severas consecutivas. A modelação de nicho está se tornando uma ferramenta cada vez mais importante na gestão de invasões biológicas, tanto antes como depois da introdução do organismo invasor. Neste estudo, o software MaxEnt (máxima entropia) foi usado na modelação da distribuição invasiva potencial de Corythucha ciliata em Portugal, a partir de um conjunto de variáveis ambientais e de dados de presença do inseto, obtidos a partir da observação de folhas de plátanos amostrados por todo o país. De acordo com o melhor modelo gerado pelo MaxEnt, as áreas de maior adequabilidade potencial à invasão de Corythucha ciliata encontram-se no norte de Portugal apresentando o sul e as regiões de maior altitude do norte e centro adequabilidade reduzida ou nula. Observações laboratoriais da biologia de Corythucha ciliata aliadas aos registos de ausência em várias localidades do sul de Portugal e ocorrência predominante na metade norte de Espanha suportam o modelo desenvolvido. Porém, a validação do modelo requer futuras prospecções nas áreas de reduzida adequabilidade e onde a praga se encontrava virtualmente ausente no momento em que foi realizada a amostragem. Os modelos de adequabilidade podem ser usados como ferramenta auxiliar na tomada de decisão no que concerne à gestão dos espaços verdes.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/5152 2014/10/02 - 12:57

Estudos referentes ao descarte de resíduos orgânicos urbanos e agroindustriais tornaram-se imprescindíveis pela possibilidade de seu uso na produção de mudas florestais e pelo impacto ambiental que seria provocado pelo descarte inadequado. O objetivo do trabalho foi avaliar o crescimento de mudas de Eucalyptus grandis submetidas a diferentes tipos e combinações de substratos orgânicos urbano e agroindustriais. O experimento foi desenvolvido em casa de vegetação sob delineamento experimental inteiramente casualizado, com 10 tratamentos constituídos por diferentes substratos e proporções de combinação dos mesmos (100% Composto Orgânico de Lixo Urbano (COLU); 100% Composto Orgânico de Resíduo Agroindustrial (CORA); 100% Substrato Comercial; 25% COLU + 75% Comercial; 25% CORA + 75% Comercial; 25% COLU + 75% Solo; 50% COLU + 50% Comercial; 50% CORA + 50% Comercial; 50% Comercial + 50% Solo e 100% Solo) e 12 repetições. Avaliaram-se altura da planta, diâmetro do colo, número de folhas, comprimento entre nós, massa fresca da parte aérea e do sistema radicular, massa seca da parte aérea e do sistema radicular, massa seca total, comprimento da raiz principal, comprimento do sistema radicular, volume do sistema radicular, raio médio das raízes, área superficial específica do sistema radicular e estabilidade de torrão. Os substratos contendo composto orgânico de lixo urbano apresentam grande potencialidade de uso como substratos alternativos na produção de mudas de Eucalyptus grandis. A mistura de substrato comercial ao composto orgânico de lixo urbano possibilita crescimento do sistema radicular e parte aérea das mudas de Eucalyptus grandis. A mistura de 50% de substrato comercial e 50% composto orgânico de resíduo agroindustrial proporciona maior crescimento de diâmetro de caule em relação aos tratamentos contendo solo ou em relação ao composto orgânico de resíduos agroindustriais.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/6478 2014/10/02 - 12:57

A racionalização da colheita florestal e a minimização dos custos é uma busca constante por parte dos gestores envolvidos nesse processo, competindo a esses deliberar práticas economicamente viáveis para otimizar essa operação. O objetivo deste estudo foi avaliar técnica e economicamente a produtividade do feller-buncher e do processador florestal em povoamento de eucalipto em primeiro corte. A análise técnica englobou um estudo de tempos e movimentos, produtividade, eficiência operacional e disponibilidade mecânica. A análise econômica englobou os parâmetros do custo operacional, custo de colheita florestal e rendimento energético. Visando à otimização do custo de colheita florestal, o sistema composto pelo feller-buncher e processador florestal apresenta-se como uma alternativa viável tecnicamente e economicamente para a colheita em povoamentos de eucalipto de primeiro corte ou para povoamentos que não possuam árvores bifurcadas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/2990 2014/10/02 - 12:57

Este trabalho analisou a fragmentação florestal da Área de Proteção Ambiental Coqueiral, que está localizada no município de Coqueiral, região Sul do estado de Minas Gerais. O objetivo foi avaliar a fragmentação florestal da área de estudo, a partir de métricas da paisagem, bem como elaborar modelos de simulação da paisagem, no intuito de fornecer cenários futuros de restauração ecológica, e compará-los com a situação atual da paisagem. A análise do uso e ocupação da terra foi obtida por meio de técnicas de Sistemas de Informação Geográfica e Sensoriamento Remoto, a partir de uma imagem (SPOTMAP) do satélite SPOT 5. A análise da fragmentação florestal foi realizada utilizando o software FRAGSTATS, para calcular as métricas da paisagem mensurando parâmetros como: área, perímetro, forma, conectividade dos fragmentos. Para as simulações da paisagem foram criados buffers de 1 e 5 m no entorno de todos os remanescentes florestais da área de estudo, bem como a recuperação virtual das áreas de preservação permanente. A análise da fragmentação da paisagem mostrou que a vegetação natural está distribuída em 360 fragmentos, sendo 137 deles menores que 1 ha. Os modelos de simulação da paisagem mostraram que a área de vegetação aumentou de 1943,13 ha para 2299,02 ha na simulação em que as APPs foram reflorestadas (Vegetação natural/APPs restauradas = VA). O tamanho médio dos fragmentos nesta mesma simulação aumentou em relação à paisagem atual, passando de 7,66 m para 15,75 m. A paisagem VA mostrou um menor valor de forma (1,93), indicando que a forma dos fragmentos nesta simulação foi mais simples, o que é importante do ponto de vista da conservação, pois diminui o efeito de borda nos fragmentos. Os valores de isolamento não apresentaram diferença considerável nas simulações: 38,9 m (VN); 40,64 m (VB1); 42,89 m (VB5) e 39,75 m (VA), indicando um baixo isolamento dos fragmentos, mesmo na paisagem atual. O índice de conectividade foi alto (acima de 99%) para todas as simulações, indicando que as paisagens apresentam elevada conectividade estrutural. Estes dados são relevantes subsídios para a tomada de decisão e para gestão e planejamento da Área Proteção Ambiental Coqueiral, permitindo a indicação de áreas prioritárias para conservação.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3102 2014/10/02 - 12:57

Uma das principais ferramentas para quantificar e qualificar o potencial de uma floresta é o inventário florestal. Durante a sua fase de planejamento, é necessário definir a intensidade de amostragem e o tamanho e forma de unidades de amostra para minimizar os custos de coleta de dados, aumentando a precisão do inventário florestal. Este estudo teve como objetivo testar diferentes tamanhos e formas de unidades de amostra para diferentes categorias de diâmetros a altura do peito (DAP). O estudo foi realizado na região de Manaus, incluindo INPA e áreas como a estação experimental da Embrapa em torno da BR-174, no estado do Amazonas, Brasil. Cinco categorias de DAP foram consideradas, como a seguir: 5 centímetros, 10 cm, 20 cm, 25 cm e 45 cm. Para todas as categorias de DAP, vinte e três diferentes tamanhos e duas formas foram testados, de 100 m² a 10.000 m². O número de amostras foi definido como n = 30 para todas as simulações de tamanho, para se confirmar a utilização dos pressupostos do teorema do limite central. A área basal foi utilizada para estimar a incerteza em relação ao verdadeiro valor da média para a comparação entre os diferentes tamanhos para cada categoria de DAP. Quase todos os tamanhos de parcela, em todas as categorias de DAP, obtiveram incertezas inferiores a 10%. Os que obtiveram melhores resultados foram os de 1000 m², 800 m², 1200 m², 2000 m² e 10.000 m² respectivamente, para os DAP mínimos de 5, 10, 20, 25 e 45 centímetros. A maioria dos inventários florestais exploratórios no estado do Amazonas tem sido feita para árvores com DAP maior que 10 centímetros, e os tamanhos variando de 1000 a 2000 m². Os resultados deste trabalho demonstram que o tamanho para o inventário exploratório é adequado, porém, tamanhos diferentes devem ser usados para DAP maior ou igual a 45 centímetros, que é normalmente o DAP mínimo para os planos de exploração madeireira.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3651 2014/10/02 - 12:57

El mayor incremento en crecimiento de la plantación puede causar variación en las propiedades físicas de la madera, pudiendo disminuir la calidad de la misma para la industria. El objetivo del presente trabajo es evaluar el efecto de los tratamientos de raleo sobre el crecimiento y densidad de la madera de Pinus taeda implantado en Misiones, Argentina (25º 59’S - 54º24’O). La plantación se estableció en 1985 con densidad inicial de 1644 pl.ha-1y se manejó con tres intensidades de raleo (0, 33 y 66 % del área basal del testigo sin ralear), bajo un diseño de bloques completos al azar (3 bloques). A los 20 años se efectuó tala rasa, cuyas densidades eran 711 (0 %), 364 (33 %) y 122 (66 %) plantas por hectárea, momento en el cual se seleccionaron 45 árboles para determinar la densidad básica de la madera. La misma se determinó a través de la realización de 2.700 probetas. El crecimiento de la plantación fue afectado por la intensidad de raleo, registrando diámetros promedio de 28,7, 34,8 y 45,9 cm, respectivamente, en los tratamientos 0, 33 y 66 % de raleo. El volumen de la plantación, al momento del apeo, fue superior en el tratamiento sin raleo, no obstante el tratamiento 66 % de raleo generó mayor cantidad de madera de grandes dimensiones. La densidad básica como promedio simple y ponderado por volumen no presentó diferencias significativas entre tratamientos. Los valores de densidad ponderada fueron de 0,406, 0,418 y 0,420 g.cm-3 para los tratamientos 0, 33 y 66 % de raleo, respectivamente, mientras que el análisis de correlación entre diámetro y densidad no fue significativo. El estudio mostró que la intensidad de raleo puede ser manejada para maximizar la producción, manteniendo idéntica la calidad de la madera para la industria.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4660 2014/10/02 - 12:57

Este artigo visa discutir os resultados obtidos com a pesquisa que buscou identificar, por meio de indicadores e de informações socioeconômicas, se a atividade de exploração da amêndoa do baru (Dipteryx alata Vogel) – uma espécie do Cerrado brasileiro – realizada por organizações privadas (empresas, cooperativas e associações representativas de agricultores familiares), estabelecidas em municípios goianos e no Distrito Federal, pode ser caracterizada como uma alternativa sustentável de geração de renda. Nesta pesquisa mensuraram-se cinco dimensões da sustentabilidade: ambiental, social, econômica, política e da saúde, por meio de indicadores, além de terem sido identificados os obstáculos enfrentados pelas organizações no âmbito da cadeia de produção do baru e proposto um modelo de produção para esta amêndoa do Cerrado. Os resultados demonstraram que, nas condições encontradas, a exploração do baru pelas organizações amostradas não se configura como uma atividade sustentável de geração de renda, uma vez que atende parcialmente ao pressuposto, segundo o qual a atividade para ser considerada sustentável deve possuir um equilíbrio entre as várias dimensões da sustentabilidade. Os obstáculos que as organizações da cadeia produtiva do baru enfrentam podem constituir em poderoso entrave à sua adequada gestão, contribuindo também para o comprometimento da sustentabilidade da atividade.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/6657 2014/10/02 - 12:57

O objetivo do estudo foi avaliar o efeito da qualidade de madeiras de eucalipto no desempenho da polpação kraft sob duas diferentes condições de polpação e em dois níveis de deslignificação, baseando-se no rendimento, alvura, viscosidade e índice k/kappa corrigido das polpas produzidas. As madeiras de eucalipto (A, B e C), foram analisadas quanto às suas propriedades físico-químicas (densidades básica e aparente, teor de ligninas insolúvel e solúvel, teor de extrativos, cinzas e cinzas insolúveis em ácido clorídrico) e utilizadas para a produção de polpa celulósica por meio do cozimento kraft modificado, utilizando duas condições de polpação, sendo elas: Condição I (PI) - álcali efetivo de 16,5%, sulfidez de 30% e temperatura de cozimento de 155ºC; e Condição II (PII) - álcali efetivo de 17,5%, sulfidez de 32% e temperatura de cozimento de 147ºC. Ambos os cozimentos foram realizados buscando-se no número kappa de 15,5 ± 0,5 e de 18,0 ± 0,5. Foram avaliados os seguintes parâmetros de polpação e propriedades das polpas produzidas: fator H, rendimento depurado, viscosidade, alvura, conteúdo de ácidos hexenurônicos e o índice k/kappa corrigido. A madeira A, que apresentou menores teores de extrativos e lignina em sua constituição, bem como menores densidades básica e aparente quando comparada com as madeiras B e C, apresentou os melhores resultados para os parâmetros de cozimento avaliados, com destaque para a polpa produzida pela condição de cozimento PII com o número kappa de (18,0 ± 0,5), que apresentou maior rendimento, alvura e viscosidade dentre todas as polpas produzidas. Polpas produzidas com maior número kappa apresentam menores índices k/kappa corrigidos.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/2957 2014/10/02 - 12:57

No presente trabalho, considerou-se o estudo do potencial de utilização de casca de amendoim e partículas de madeira da espécie itaúba (Mezilaurus itauba) com o intuito de agregar valor a estes materiais, por meio da fabricação de painéis de partículas híbridos, a fim de comparar os desempenhos físicos, mecânicos e durabilidade. Para esses procedimentos foram utilizadas a resina poliuretana bicomponente à base de óleo de mamona e a ureia-formaldeído. A qualidade dos produtos foi avaliada com base nas prescrições do documento normativo NBR 14.810:2006 e APA PRP 108, por meio de ensaios físico-mecânicos, microestruturais e de durabilidade. Com os resultados obtidos foi possível verificar que a incorporação de partículas de madeira proporcionou aumento nas propriedades físico-mecânicas do painel de partículas com casca de amendoim, a resina poliuretana à base de óleo de mamona mostrou-se eficiente como adesivo aglomerante das partículas e o ensaio de durabilidade indicou que o material deve ser utilizado em condições de exposição de baixo contato com umidade.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/6652 2014/10/02 - 12:57

O Parque Nacional Serra de Itabaiana, assim como diversas outras unidades de conservação no Brasil, comumente sofrem perdas ecológicas em função dos incêndios que os atingem. Sendo assim, torna-se essencial compreender as características do material combustível para um melhor entendimento do comportamento do fogo e como melhor combatê-lo. Para tal, foram demarcadas 108 parcelas de 1 m2 onde todo o material combustível superficial foi coletado e pesado. Subamostras foram retiradas e colocadas na estufa para determinar o teor de umidade e o peso da matéria seca. No total, foram coletados, dentro da área de estudo, 91,38 kg de biomassa seca, correspondente a 8,46 t/ha. Considerando cada fitofisionomia individualmente, os Campos Graminosos apresentaram uma média de 3,7 t/ha de material combustível, as Matas 12,5 t/ha e as Areias Brancas 9,18 t/ha. Os resultados obtidos sugerem maior facilidade de ignição do material combustível nas áreas de Areias Brancas; maior dificuldade de ignição nas áreas de Matas; e incêndios de curta duração nas áreas de Campos Graminosos.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4663 2014/10/02 - 12:57

Este artigo faz uma comparação dos índices de vegetação Normalized Difference Vegetation Index (NDVI), Simple Ratio (SR) e Transformed Vegetation Index (TVI), na discriminação das fitofisionomias de três ambientes do Pantanal de Cáceres, Mato Grosso, considerando a sazonalidade (períodos seco e úmido). As imagens utilizadas foram as do satélite Landsat TM 5, do ano de 2009 (período seco) e de 2010 (período úmido). As análises mostraram que o NDVI apresentou melhor desempenho em relação ao SR e TVI para os diferentes ambientes.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4090 2014/10/02 - 12:57

A contaminação do solo com cobre tem se tornado comum em regiões de mineração e agrícolas pelo uso de fungicidas a base de cobre e aplicação de dejeto líquido de suíno ao solo, causando redução na produtividade das plantas. O trabalho objetivou determinar o efeito de doses de cobre no crescimento e qualidade de mudas de Barbatimão (Stryphnodendron polyphyllum Mart.) e Cássia (Cassia multijuga Rich.). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado num fatorial (2 x 4), sendo as duas espécies florestais, e quatro doses de cobre: 0; 150; 300 e 450 mg kg-1, com 10 repetições. Avaliou-se a altura de planta, diâmetro do colo, peso da matéria seca radicular e da parte aérea, comprimento e área superficial específica radicular, e os índices de qualidade de mudas: relação entre altura da parte aérea e diâmetro do coleto; altura da parte aérea e peso da matéria seca da parte aérea e o Índice de Qualidade de Dickson. Os resultados demonstram que as doses de cobre testadas não influenciam a qualidade de mudas da Cássia enquanto o Barbatimão mantém a qualidade de mudas até 300 mg kg-1 de cobre adicionado ao solo. O Barbatimão apresenta maior crescimento e qualidade de mudas que a Cássia em solo contaminado com cobre.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/5037 2014/10/02 - 12:57

Em Caravelas, município localizado no sul do estado da Bahia, as principais formações vegetais são as florestas de mangue e as restingas apresentando, estas últimas, alto grau de degradação. O objetivo deste artigo consiste em descrever as principais espécies florestais de restingas e seus usos diretos associados, com vistas à recuperação e ao manejo de áreas degradadas e à geração de trabalho e renda, compondo, dessa forma, importante ferramenta para a gestão integrada da zona costeira. Para isso, a elaboração de listagens florísticas e visitas ao campo foram necessárias para reconhecimento do ambiente. Na seleção das espécies, uma literatura referente ao uso, manejo e valor agregado de cada uma das espécies identificadas foi utilizada e, a partir daí, foram reconhecidas quatro espécies com potencialidade para geração de trabalho e renda nos moldes dessa proposta: mangaba (Hancornia speciosa), pitanga (Eugenia uniflora), caju (Anacardium occidentale) e aroeira (Schinus terebinthifolius). As três primeiras apresentam associação de seus frutos ao uso alimentar, servindo a aroeira como condimentação, com alta valorização no mercado mundial, e o caju, a partir da sua estrutura fértil (castanha e polpa). A identificação dos subprodutos vegetais fornecidos assegura a utilização sustentada das espécies e do ambiente e os Produtos Florestais Não Madeiráveis podem ser estratégicos no gerenciamento costeiro, tornando-se instrumento para se alcançar inclusão social através da geração de trabalho e renda, sob o movimento da Tecnologia Social, contribuindo, portanto, para a redução da vulnerabilidade social de comunidades costeiras tradicionais.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3835 2014/10/02 - 12:57

O presente estudo teve o objetivo de realizar a avaliação de custos de dois modelos de harvester, na colheita de madeira de eucalipto. A pesquisa avaliou a derrubada e o processamento da árvore, com idade de 6 anos, no sistema de toras curtas, para dois modelos de harvester, em áreas localizadas nos municípios de Conceição da Barra – ES e Caravelas – BA. Avaliaram-se dois modelos de harvester, PC-228 SHO e PC-200 LC, da marca Komatsu. As informações foram coletadas durante um período de 6 meses, que compreende os meses de março a agosto de 2010, pelo método de censo. Calcularam-se os custos operacionais dos dois modelos de harvester, pelo método contábil, o qual utiliza valores estimados em reais. Realizou-se ainda a análise de sensibilidade de custos para os elementos que mais contribuem com o custo final. Obteve-se o custo operacional para os modelos PC 200 e PC 228 de R$ 156,95 e R$ 168,84 por hora efetiva, respectivamente. Em relação aos custos operacionais totais, os custos mais significativos foram: combustível, manutenção e reparos e depreciação, com 24,41%, 22,39% e 19,08%, respectivamente. Na análise de sensibilidade, simulando uma situação em que a empresa consiga uma economia real de 10% em cada um desses itens, a mesma poderá obter uma redução no custo de produção em 7%, para as duas máquinas avaliadas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3972 2014/10/02 - 12:57

Os efeitos do novo Código Florestal Brasileiro (CFB) - Lei Federal 12.651/2012 - foram avaliados em relação à adequação de unidades familiares de produção conduzidas em sistema de produção orgânico (SPO) ou convencional (SPC). Foram estudadas 17 propriedades rurais do território Portal da Amazônia, quantificando-se as áreas totais, de preservação permanente (APP) e de reserva legal (RL), usando-se o Sistema de Informação Geográfica (SIG). Compararam-se os resultados com o que é exigido para o bioma Amazônia pelo novo CFB. A maior parte das propriedades avaliadas não apresentou o mínimo exigido para as áreas de RL e APP (nascentes e margem de córregos). As propriedades em SPO apresentaram melhores resultados em relação àquelas conduzidas em SPC quanto à manutenção da vegetação nativa nas APPs, além de um maior percentual de remanescentes florestais compondo a RL das propriedades. Tendo em vista consolidação das áreas desmatadas anteriormente a 22/07/2008, previstas no novo CFB, todas as dezessete propriedades sanaram seus passivos ambientais do ponto de vista da legislação brasileira atual para RL. No caso das APPs, todas as nove propriedades em SPO sanaram seus passivos ambientais, enquanto que no SPC isso ocorreu em quatro das sete avaliadas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/7288 2014/10/02 - 12:57

Baseado na Teoria Geral dos Sistemas desenvolveu-se um modelo ecológico para a restauração dos ecossistemas, cujos solos estejam muito degradados, tratando o ecossistema como um sistema dinâmico complexo, hipersensível às condições iniciais de preparação do solo. Partindo da hipótese de que os ecossistemas degradados são sensíveis às condições iniciais de preparação do solo, avaliou-se a técnica das rugosidades (variações do relevo, alternando superfícies côncavas e convexas) para desencadear, ao longo do tempo, propriedades emergentes que aceleram o processo de restauração ecológica. Os ecossistemas degradados podem ser entendidos como sistemas organizacionalmente abertos, como uma estrutura dissipativa, em que fluem matéria e energia, irreversivelmente. A principal tarefa, em restauração ecológica, em áreas que tiveram o solo degradado consiste em obter a internalização da matéria e da energia para induzir o sistema ao fechamento organizacional. As rugosidades, representadas pelas microtopografias do solo, constituem uma técnica eficiente na internalização de matéria, retendo água, sedimentos, matéria orgânica, nutrientes e sementes. As variações do relevo desencadeiam, ao longo do tempo, mudanças ambientais de uma forma dinâmica e heterogênea que influenciam as interações entre a radiação solar, a umidade e os nutrientes, criando oportunidades diferenciadas para as espécies vegetais e animais. Deve haver uma concentração orientada para as estruturas de fluxos e de processos existentes entre o ecossistema degradado (sistema) e o ambiente (vizinhança). Nessa abordagem dedica-se uma concentração especial nas inter-relações entre o sistema degradado e o ambiente. Para restauração ecológica, cuja área esteja com solo degradado, como a mineração e a pecuária, propõe-se uma nova abordagem sistêmica integradora na qual as rugosidades do solo possam desencadear espacial e temporalmente, padrões e propriedades ambientais emergentes devido à hipersensibilidade às condições iniciais de preparação do terreno.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3571 2014/10/02 - 12:57

Ao se analisar a trajetória do setor de sementes florestais, é notória a relação do fortalecimento dos estudos sobre espécies nativas e o crescente cunho ambiental da Legislação Florestal brasileira. Apesar de incentivado pela Legislação, o mercado de sementes nativas é muito informal e poucas são as espécies com testes laboratoriais protocolados nas Regras para Análise de Sementes (RAS). Entretanto, a Lei nº 10.711, ao regularizar a comercialização de sementes e mudas, concedeu subsídios legais para promover a formalização do setor de sementes florestais nativas. O cumprimento desta Lei está condicionado à padronização de metodologias laboratoriais para análise da qualidade dessas sementes. Por isto, a formulação de um anexo ou de uma RAS específica para sementes florestais nativas parece estar próximo. Este fato certamente consolidará esta fatia do setor sementeiro nacional. Mas quais foram os percursos que a ciência em sementes florestais nativas teve que transpor até esta padronização? Quais são as perspectivas de futuro para o setor de sementes florestais nativas? Estas são apenas algumas das perguntas que este trabalho pretende responder, embasado em perspectivas de organizações ambientais e silviculturais, como as Redes de Sementes.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4119 2014/10/02 - 12:57

No presente estudo é investigada a anatomia da madeira de 9 espécies sul-rio-grandenses de Eugenia (Myrtaceae), com vistas ao reconhecimento de caracteres úteis à identificação do gênero e espécies. Os resultados demonstram uma grande homogeneidade estrutural, fruto do elevado número de caracteres anatômicos compartilhados. Nenhuma característica ocorre exclusivamente no grupo taxonômico em questão. É confirmado o valor do arranjo do parênquima axial para a separação de espécies, bem como da frequência de poros e características de raios. Não é possível contestar, com base na anatomia da madeira, a inclusão de Hexachlamys em Eugenia, como sugerido por Landrum e Kawasaki (1997).

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/4381 2014/10/02 - 12:57

A eficiência de conversão da radiação solar em fitomassa é uma variável frequentemente utilizada em modelos de simulação do crescimento das culturas, pois a produção de biomassa está relacionada com a eficiência com que uma planta converte energia radiante em química, dada pelo processo da fotossíntese. Dessa maneira, o objetivo deste trabalho foi determinar a eficiência de conversão da radiação solar fotossinteticamente ativa interceptada (RFAi) em fitomassa aérea de Ilex paraguariensis, cultivada em consórcio (Ilex paraguariensis A. St. Hil. e Pinus elliottii Engelm) e solteira. Para tanto, foram determinados a radiação solar fotossinteticamente ativa interceptada (RFAi), o índice de área foliar e a fitomassa seca das erveiras sob sombreamento e a pleno sol, sendo então, a eficiência de conversão da RFAi em fitomassa seca produzida calculada por meio da relação entre a produção de fitomassa acumulada e a RFAi envolvida. Para um mesmo valor de radiação RFAi, obteve-se maior eficiência de uso da radiação no acúmulo em matéria seca aérea de Ilex paraguariensis cultivada em consórcio. A eficiência de conversão (εb) de fitomassa seca aérea de plantas de Ilex paraguariensis em relação à quantidade de radiação solar fotossinteticamente ativa interceptada acumulada foi de 0,83 g MJ-1 no sistema consórcio e de 0,23 g MJ-1 no sistema solteiro. Apesar disso, a produção de fitomassa aérea por planta de erva-mate foi maior no sistema solteiro.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14563 2014/07/01 - 20:21

Ainda são poucas as informações sobre a influência da luminosidade na produção de biomassa bem como no teor de alguns nutrientes em folhas de Ilex paraguariensis. Este trabalho teve por objetivo avaliar a produção de biomassa da parte aérea da Ilex paraguariensis A. St. Hil. (ramos e folhas) e o teor de nitrogênio, potássio, fósforo, cálcio, magnésio e ferro em folhas produzidas em dois sistemas de cultivos, consorciado com Pinus elliottii Engel. e solteiro, ao longo das estações do ano no município de Frederico Westphalen- RS. Os resultados mostraram que a produção de biomassa da Ilex paraguariensis (folhas + ramos) é maior no cultivo solteiro quando comparada ao consorciado, porém, quando comparados os dois sistemas de cultivo com relação aos teores de fósforo, mas principalmente cálcio, magnésio e ferro, observou-se uma variação pequena para as diferentes épocas do ano, o que indica uma atividade metabólica mais constante da planta de erva-mate sob uma condição mais sombreada, o que torna um importante fator na qualidade final do produto.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14565 2014/07/01 - 20:21

A redução do ganho em biomassa de lenho em árvores tem sido atribuída à ocorrência de deformações radiculares ainda na fase de viveiro. O objetivo deste trabalho foi avaliar a condutividade hidráulica do sistema radicular, trocas gasosas e a eficiência fotoquímica de mudas clonais de eucalipto com e sem indução de deformações radiculares. Os tratamentos foram: 1 – mudas sem a indução de deformações radiculares (produzidas de acordo com metodologia operacional do viveiro da Fibria Celulose S.A.) e 2 – mudas com indução de deformações radiculares. A indução da deformação radicular não resultou em queda no volume radicular. Contudo, deformações radiculares provocaram redução na condutividade hidráulica do sistema radicular, assim como foram verificadas quedas na taxa fotossintética das mudas ao longo do dia. A queda da taxa fotossintética em mudas com indução de deformações radiculares está associada a fatores estomáticos e não estomáticos.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14566 2014/07/01 - 20:21

O presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de Lithraea molleoides (Vell.) Engl. comparando diferentes métodos de superação da dormência. Os métodos de superação da dormência utilizados foram: escarificação ácida por 10, 15, 20 e 25 minutos; imersão em água quente, com temperatura de 70, 80 e 90°C, até resfriar por 24 horas, imersão em ácido giberélico (GA3) na concentração de 250 e 500 mg.L-1, por 24 e 48 horas; e imersão em nitrato de potássio (KNO3) por 24 e 48 horas. Foram realizadas avaliações de sanidade, germinação e comprimento médio de plântulas. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro repetições de 25 sementes por tratamento. Os dados em percentagem foram transformados segundo arco sen√x/100 e submetidos à análise de variância. A comparação das médias foi realizada através do teste de Tukey a 5 % de significância. Foi realizada análise de correlação simples entre sementes mortas do teste de germinação e os diferentes fungos identificados no teste de sanidade. No teste de sanidade, foram identificados com maior incidência os fungos Rhizoctonia spp., Penicillium spp., Aspergillus spp., Alternaria spp., Chaetomium spp., Epicoccum spp. De uma maneira geral, a utilização da água quente controlou a incidência dos diferentes fungos e a utilização do ácido giberélico proporcionou um aumento da incidência dos diferentes patógenos. A maior porcentagem de germinação foi observada quando se utilizou escarificação ácida por 20 minutos, imersão em água quente a 70°C, GA3 (250 mg L-1 por 48 horas) e KNO3 por 48 horas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14567 2014/07/01 - 20:21

A espécie florestal Myracrodruon urundeuva Fr. All. é reconhecida cientificamente pelo conjunto de características ecológicas e utilitárias que a caracterizam como espécie “nobre” da flora brasileira. Embora a espécie figure desde 1992 até o presente na lista de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção, a mesma manifesta comportamento monodominante em algumas regiões do estado de Minas Gerais, sobretudo na região do médio Rio Doce. Diversos estudos são conduzidos no intuito de descrever e compreender florestas tropicais monodominadas, no entanto, ainda são poucas as informações que esclarecem a estrutura de fragmentos florestais monodominados por Myracrodruon urundeuva. Neste contexto, o presente estudo teve por objetivos: a) caracterizar através de parâmetros florísticos, fitossociológicos e paramétricos a monodominância de Myracrodruon urundeuva no município de Tumiritinga-MG; b) estimar os estoques de biomassa e carbono aéreos nestes sistemas; c) caracterizar o estágio de regeneração de fragmentos florestais monodominados por aroeira em Tumiritinga-MG, com base na resolução 392 do CONAMA; d) avaliar a existência de correlação entre cobertura de copa e estágio de regeneração em fragmentos monodominados por aroeira. Foram amostradas de forma aleatória 16 parcelas de 400 m² em todo o município de Tumiritinga, representando 6.400 m² de “aroeirais”. A análise de diversidade dos fragmentos monodominados estudados apresentou índice de Shannon-Weaver igual a 0,25. Myracrodruon urundeuva representou 96% dos 678 fustes amostrados, 96% da área basal total mensurada e 96% do volume total estimado nas parcelas de inventário. Além da espécie Myracrodruon urundeuva, o estudo de florística apresentou somente outras 10 espécies florestais representadas por 7 famílias botânicas. As estimativas de biomassa alcançaram valores médios de 81 m3.ha-1 de volume de madeira, 62,8 Mg B.ha-1, 35,2 Mg C.ha-1 e 129,1 Mg CO2.ha-1. Os povoamentos monodominados por aroeira em Tumiritinga foram caracterizados de acordo com a resolução CONAMA 392 e com a análise de cobertura de copa como em estágio médio de regeneração. A aroeira encontra-se em monodominância na região do médio Rio Doce e se faz necessária a realização de estudos visando ao manejo sustentável destas florestas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14568 2014/07/01 - 20:21

Os estudos direcionados para quantificação de estoques de carbono fixado por florestas naturais estão em ampla evidência, assim como a discussão sobre a efetividade da recuperação de áreas degradadas como estratégia para reduzir os níveis de CO2 atmosférico. Neste sentido, tiveram-se dois objetivos neste artigo: i) quantificar o estoque de carbono presente na biomassa da parte aérea de um fragmento de Floresta Estacional Semidecidual Montana, pertencente ao Bioma Mata Atlântica no estado de Minas Gerais e ii) incorporar a variável estoque de carbono na estrutura horizontal da análise fitossociológica e comparar os resultados aos obtidos pela metodologia padrão, sem utilizar essa variável no cálculo do valor de importâncias das espécies. Os resultados indicam que o estoque de carbono encontrado equivale a fragmentos em estágio médio de sucessão, e que a utilização da variável carbono influencia sobremaneira o valor de importância das espécies. Esta metodologia serve como suporte para a escolha de espécies arbóreas de maior potencial para sequestrar carbono e pode subsidiar programas de restauração de remanescentes florestais do Bioma de Mata Atlântica.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14569 2014/07/01 - 20:21

A grande diversidade na morfologia dos diásporos da família Anacardiaceae repercute nos processos de germinação e emergência e gera comportamento diferenciado entre as espécies. Dentro dessa família há algumas espécies que apresentam dormência física, outras mecânica, algumas que não exibem dormência e há também espécies cuja informação não está explícita na literatura disponível. Lithraea molleoides (Vell.) Eng. é uma das espécies que hoje se encontra em posição duvidosa quanto à dormência. Em razão disso, objetivou-se avaliar o processo de germinação e emergência de plântulas provenientes de diásporos da espécie, coletados no Vale do Rio Araguari, MG, bem como quantificar a variabilidade na intensidade da dormência existente entre diferentes indivíduos da população. Os diásporos foram coletados em outubro e novembro de 2004 e 2005, a partir de seis matrizes, sendo instalados dois experimentos, o de germinação, montado sob condições controladas, e outro de emergência, em estufa semiaberta. A coleta dos dados foi realizada a cada 24 horas, observando-se a protrusão do embrião no experimento montado em laboratório e a emergência do hipocótilo da plântula acima do substrato no experimento mantido em estufa. Em ambos os experimentos, os diásporos oriundos da matriz de número dois se destacaram em alguma medida, tendo qualidade fisiológica superior em relação aos demais (tempo médio entre 4 e 22 dias; velocidade média entre 0,042 e 0,0217 dias-1; incerteza entre 1,62 e 3,5 bits e sincronia entre 0,04 e 0,381). Os altos valores de incerteza e os baixos valores de sincronia indicam que os processos de germinação e emergência de plântulas de L. molleoides são espalhados no tempo, o que permite caracterizá-los como portadores de dormência relativa, embora sua intensidade seja variável entre indivíduos de uma mesma população. Probabilidades baixas, porém, não nulas para germinar ou emergir, mesmo aos 150 e 60 dias após a semeadura, respectivamente, revelam a capacidade de sobrevivência temporal dos diásporos da espécie e reforçam a presença de dormência relativa.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14570 2014/07/01 - 20:21

O presente estudo objetivou quantificar alterações morfológicas decorrentes de estímulos mecânicos por flexões caulinares na fase de rustificação de mudas de espinheira-santa [Maytenus ilicifolia (Schrad.) Planch.]. O experimento foi conduzido em casa de sombra sob delineamento experimental inteiramente ao acaso em arranjo fatorial 2 x 5, formado por mudas divididas em duas classes quanto à altura da parte aérea e cinco intensidades de flexões caulinares (0, 5, 10, 20 e 40) efetuadas diariamente durante trinta dias, em quatro repetições de dez mudas. O efeito dos estímulos mecânicos foi quantificado pelos incrementos na altura, no diâmetro do coleto, assim como pela mensuração da biomassa de raiz e da parte aérea com os quais se determinou a taxa de crescimento absoluto. Complementarmente, foi mensurada a perda de eletrólitos de raízes. Os dados foram submetidos à análise de regressão a 5%. Os resultados indicaram que o aumento do número de flexões caulinares induziu a redução no incremento em altura, no extravasamento de eletrólitos dos tecidos radiculares e, no aumento do incremento no diâmetro do coleto e na biomassa de raízes em mudas classificadas por altura. A biomassa da parte aérea de mudas com maiores dimensões aumentou com até 20 flexões mesmo com a redução linear na altura e, consequentemente, elevou a taxa de crescimento. Estímulos mecânicos por meio de flexões caulinares é uma opção para promover alterações morfológicas em mudas de Maytenus ilicifolia elevando a rusticidade e a qualidade das mudas aptas ao plantio.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14571 2014/07/01 - 20:21

Os objetivos deste trabalho foram avaliar diferentes meios de cultura na organogênese indireta e na multiplicação in vitro de brotos de Eucalyptus benthamii x Eucalyptus dunnii. Para organogênese, explantes foliares foram excisados no sentido transversal e cultivados in vitro, sendo os seguintes fatores testados: dois meios de cultura (MS N/2 e JADS) adicionados de 0,1 μM de ANA, duas concentrações de thidiazuron (0,1 e 0,5 μM) e presença ou não de PVP-40 (250 mg L-1). Após 70 dias de cultivo foram avaliadas as porcentagens de explantes oxidados totalmente, formando calo, produzindo antocianina, formando gema, formando brotações e o número de brotações formadas por explante regenerando. No experimento de multiplicação, brotações isoladas foram cultivadas em meio MS, JADS e WPM, adicionados de 1,11 μM de BAP. Foram realizados quatro subcultivos a cada 28 dias e em cada subcultivo foram avaliados: a porcentagem de oxidação, de explantes apresentando clorose total ou parcial, massa fresca e número médio de brotos por explante. O meio de cultura MS N/2 suplementado com 0,1 μM de ANA, 0,5 μM de TDZ e PVP-40 promoveu a maior taxa de organogênese (8,3%). No meio de cultura MS com 1,11 μM de BAP, a taxa de multiplicação foi maior que nos outros meios, no primeiro e segundo subcultivos (9,28 e 9,24 por mês), não havendo diferença entre os três meios nos demais subcultivos.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14572 2014/07/01 - 20:21

Objetivou-se com este estudo avaliar o comportamento de plantas de Pterogyne nitens Tull. sob diferentes níveis de restrição luminosa durante seu desenvolvimento inicial. O estudo foi conduzido no período de março a junho de 2008, no campo agropecuário da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, em Vitória da Conquista, BA. Sete experimentos foram definidos por níveis de 20%, 30%, 40%, 50%, 60% e 70% de restrição luminosa e plantas mantidas a pleno sol. Cada um dos experimentos foi organizado em delineamento experimental inteiramente casualizado, com cinco repetições e parcelas constituídas por 12 plantas. Durante o período de 15 a 75 dias após a emergência das plântulas, em intervalos de 15 dias, foram avaliadas as características morfológicas e quantitativas de crescimento e o índice de qualidade Dickson (IQD). Os gradientes de restrição de luz induziram a alterações morfológicas como elevação da altura e aumento da área foliar individual e total das plantas. Reduções de massa do sistema radicular ocorreram em detrimento de tais modificações. Invariavelmente, os maiores índices de IQD foram verificados para as plantas mantidas sob 36,5% de restrição luminosa.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14573 2014/07/01 - 20:21

Psychotria nuda (Cham. & Schltdl.) Wawra (Rubiaceae) is a native species from the Dense Ombrophylous Forest (dense tropical rain forest), typical in the low altitude areas of the forest, with occurrence in the states of Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná and Santa Catarina. Due to the presence of yellow flowers with red receptacle and anise colored fruits, the plant has an ornamental potential, such as a pharmaceutical potential, thanks to the variety of alkaloids that have already been isolated demonstrating structural diversity of its active components. This work aimed to verify the effect on stem cuttings rooting of different collection environments and of different phenophases of Psychotria nuda stock plants at the time of collection, and to verify what is the correlation between variables defined as percentage of rooted cuttings, number of roots per cutting and average length of the three longest roots per each cutting (cm) with permanence of two half leaves and formation of callus. Phenophases are intended as different times of the year in which stock plants presented distinct phenological characteristics. In the two phenophases studied (phenophases 1 and 2) canopy sprouts were collected in Antonina, Paraná state, from two different environments (plain and hillside) of the Dense Ombrophylous Forest (dense tropical rain forest). Cuttings were prepared with 10 to 13 cm length and two halved leaves. After 60 days in a greenhouse, the percentage of cuttings with roots, with callus, alive, dead, the number of roots per cutting and the length of the three longer roots per each rooted cutting were evaluated. The collection environments and the phenophases at the time of collection influenced the percentage of rooting, such that the phenophase 1 and the hillside environment were the conditions that resulted in the best rooting percentage (90%). The permanence of leaves during rooting period helped, in most cases, the formation of adventitious roots. Anticipated formation of callus supported rooting in phenophase 2, while in phenophase 1 the formation of adventitious roots was independent from callus formation.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14574 2014/07/01 - 20:21

As florestas da bacia do alto Araguaia estão diariamente expostas a vários agentes de degradação devido à intensa prática de agricultura nessa região. Vinte e dois fragmentos (de 10 a 169 ha) foram inventariados pelo método de quadrantes centrados, com o objetivo de caracterizar a estrutura da vegetação e criar um banco de dados de informações voltado para programas de restauração florestal na região. Foram amostradas 109 espécies pertencentes a 78 gêneros e 42 famílias. Dessas, 73,4% apresentaram padrão de dispersão zoocórica e 69,7% foram classificadas como de estádios iniciais de sucessão (53,2% secundárias iniciais e 16,5% pioneiras). O índice de Shannon foi 3,86 nats.ind-1 e o de equabilidade de Pielou foi 0,82. As estimativas da densidade e área basal, considerando todos os fragmentos, foram de 1.351 árvores.ha-1 e 19,28 m2.ha-1, respectivamente. As áreas apresentaram uma menor riqueza (quando comparadas a matas de galerias mais conservadas), heterogeneidade nos índices de diversidade e equabilidade, tamanho reduzido das árvores e consequente baixa área basal, elevado número de espécies características de estádios intermediários de sucessão ecológica e colonização de espécies de cerrado e cerradão em áreas mais antropizadas, alterando a paisagem original. Tal situação, somada à importância dessas áreas para a conservação da biodiversidade e de serviços ecológicos (principalmente relativos à água), exige ações de proteção e manejo conservacionista que aproveitem o grande potencial regenerativo da área, dado pela existência de um grande número de espécies secundárias iniciais e predomínio das espécies zoocóricas.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14575 2014/07/01 - 20:21

Este trabalho teve como objetivo avaliar a germinação e a capacidade de armazenamento de diásporos de <i>Astronium fraxinifolium</i>. Para o experimento de germinação, utilizaram-se seis tratamentos pré-germinativos: tratamento controle (diásporos intactos); diásporos imersos em água a temperatura ambiente (25º C) por 5 min.; diásporos imersos em água a 70° C por 5 min.; diásporos imersos em água a 100° C por 5 min.; diásporos imersos em solução de hipoclorito de sódio (1:1000) por 2 min.; e diásporos escarificados mecanicamente, com lixa nº 80. Para determinar a capacidade de armazenamento, foram testados dois diferentes tipos de embalagem (saco de papel permeável e vidro transparente) e duas condições ambientais (câmara fria e condições de laboratório). Foram realizados testes de germinação antes do armazenamento (tempo zero) e após 60, 120, 180, 240, 300 e 360 dias de armazenamento. Os efeitos dos diferentes tratamentos pré-germinativos e das condições de armazenamento na germinação dos diásporos foram avaliados por meio da ANOVA, seguida do teste de Tukey. Em relação aos tratamentos pré-germinativos, foram observadas altas taxas de germinação nos tratamentos com imersão em hipoclorito (98,0 ± 4,22%), controle (97,0 ± 4,83%), imersão em água destilada a temperatura ambiente (96,0 ± 6,99%) e imersão em água aquecida a 70ºC (83,0 ± 29,08%). Dessa forma, os diásporos de <i>Astronium fraxinifolium</i> não apresentaram dormência. No armazenamento, os diásporos permaneceram viáveis durante todo o período de estudo, apresentando altas porcentagens de germinação, com exceção do tratamento em saco de papel acondicionado em câmara fria, que perdeu a viabilidade no oitavo mês de armazenamento, não sendo, portanto, um método de armazenamento recomendado para esta espécie.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14577 2014/07/01 - 20:21

O objetivo do presente estudo foi analisar o componente arbustivo-arbóreo de áreas ciliares em restauração e de remanecentes naturais em uma matriz silvícola, pela identificação da riqueza, diversidade, características autoecológicas dos indivíduos amostrados e pela estimativa da similaridade floristica. O estudo foi realizado em uma fazenda produtora de madeira de Pinus spp., Santa Alice, localizada no município de Rio Negrinho, Santa Catarina. Para o levantamento do componente arbustivo-arbóreo aplicou-se o método de pontos quadrantes, em quatro grupos amostrais: CA (Corredores ciliares de floresta nativa em estágio avançado), CR (Corredores ciliares em restauração), MA (Manchas de floresta nativa em estágio avançado), MI (Manchas de floresta nativa em estágio intermediário). Em MA e CR foram encontrados os indíces de diversidade mais elevados (4,04 e 2,81, respectivamente) e maior número de espécies. Considerando o número de indivíduos, as síndromes de dispersão e polinização, predominantes, em todos os grupos amostrais, foram zoocoria e zoofilia. O maior percentual de similaridade florística foi em CR e CA. Os demais grupos amostrais, MA e MI, não formaram agrupamentos. O grupo amostral CR apresentou composição, riqueza e diversidade floristica semelhante aos corredores ciliares mais antigos e conservados (CA) da Fazenda, indicando que essas áreas ciliares em restauração apresentam condições de recompor os componentes e as interações de uma comunidade ecológica.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14578 2014/07/01 - 20:21

Cryptomeria japonica é originária da região temperada do Japão onde é conhecida como ‘sugi’. No Brasil, o plantio da espécie é recomendado em regiões altas e frias do sul do país, onde possui boa adaptação às condições edafoclimáticas. O objetivo do trabalho foi avaliar as correlações entre variáveis meteorológicas e o crescimento de um povoamento de Cryptomeria japonica com 25 anos de idade. Para tal, foram coletados discos transversais de 30 diferentes árvores, compreendendo toda a amplitude de variação diamétrica. Após secos e lixados, os discos tiveram seus anéis anuais de crescimento medidos e correlacionados com dados meteorológicos, utilizando ferramentas de análise dendrocronológica. As séries de crescimento apresentaram uma intercorrelação de 0,668. O crescimento radial da espécie foi influenciado positivamente pela temperatura mínima do mês de setembro e pela temperatura média do mês de maio. Não houve correlação significativa do crescimento com a precipitação, embora tenham sido verificados picos de crescimento em anos mais chuvosos.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/14579 2014/07/01 - 20:21